DEPEN

1 - Notícias

17/05/2019

Diretor do Depen apresenta dados do sistema prisional na Associação Comercial do Paraná

O diretor do Departamento Penitenciário (Depen), Francisco Caricati, fez uma palestra na Associação Comercial do Paraná (ACP), a convite dos Conselhos Político e de Segurança nesta quinta-feira (16), em Curitiba. Ele apresentou aos convidados o programa de ressocialização de presos das unidades prisionais do Paraná, que incentiva os detentos a estudarem e trabalharem e pediu apoio à ACP para que mais empresas ofereçam vagas de trabalho para presos do sistema carcerário do estado. “Não estamos pedindo uma caridade, mas oferecemos a oportunidade dos empresários terem um lucro expressivo ajudando a recuperar presos”, disse Caricati.

Caricati apresentou alguns números sobre o departamento. Atualmente o Paraná conta com 33 unidades prisionais e 37 cadeias públicas, onde os detentos se dedicam a atividades educacionais e de trabalho. O Depen tem sob custódia 21.508 presos atualmente. Desses, 10.264 praticam algum tipo de estudo. Marca expressiva também em relação a detentos que trabalham. São 6.601 com vínculo empregatício no Paraná ou 30,2% da população carcerária.

“Queremos aumentar estes números, fazendo com que mais presos possam estudar e trabalhar e para tanto contamos com o apoio da ACP para oferecer mais vagas”, explicou o diretor do Depen. Além da reinserção gradativa na sociedade, trabalhar ou estudar na prisão significa a diminuição da pena. A cada três dias trabalhados, um é descontado. Doze horas de estudo também valem o crédito de um dia. “Os números são bons, claro, mas o projeto é muito mais ambicioso. A ideia é fazer com que todos os presos no Paraná estudem ou trabalhem”, ressalta ele.

O Paraná conta com 11 unidades de progressão de pena em Piraquara, Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Maringá, Cruzeiro do Oeste, Francisco Beltrão e Foz de Iguaçu e Cruzeiro do Oeste. O estado deve disponibilizar mais cinco unidades deste tipo nos próximos meses. Para integrar uma unidade de progressão de pena, o detento não pode estar vinculado a facções criminosas e nem ter cometido crimes hediondos.

Francisco Caricati enalteceu o trabalho de sua equipe no Depen e o apoio do desembargador Ruy Muggiati, supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do Paraná, que foi citado pelo diretor do Depen como o idealizador deste projeto de ressocialização dos detentos.

* Com a colaboração da Associação Comercial do Paraná. 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.