DEPEN

1 - Notícias

20/11/2020

Em parceria com a UEPG, Penitenciária de Ponta Grossa produz máscaras de acetato

Em duas semanas, a Penitenciária Estadual de Ponta Grossa - Unidade de Segurança (PEPG-US) produziu 450 “face shields” (também conhecidos por escudos faciais ou máscaras de acetato) em uma parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). A produção, que começou no último 29 de outubro, visa atender as demandas do Hospital Regional de Ponta Grossa, Santa Casa de Misericórdia, Unidades Municipais de Saúde, SAMU, SIATE, Instituto de Identificação do Paraná, CMEIS, APAE, além das demandas internas dos cursos da área da saúde da UEPG, neste período de pandemia.

Ao todo, 12 apenados participaram do treinamento realizado nas dependências da unidade e estão aptos para a montagem dos equipamentos, que também acontecem dentro da PEPG. “É um projeto da UEPG que estamos apoiando com a mão de obra dos presos e isso não é só a questão de fazer eles participarem de uma atividade produtiva, mas é ter um algo a mais, ou seja, fazer com que o preso contribua para uma sociedade que outrora ele violou. Então, é uma parceria importante, tendo em vista que é um trabalho que produz materiais que servirá de apoio para outras instituições neste período de pandemia”, destaca o diretor-geral do Departamento Penitenciário do Paraná, Francisco Caricati.

Os escudos faciais são montados por etapas. De início, é feita a impressão do suporte de cabeça e recortada a lâmina em acetato, ambos em impressora 3D. Estes primeiros processos ficam a cargo do Hospital, que conta com a ajuda de alunos, professores e voluntários. Depois, os materiais são enviados à unidade, que fica com a parte da mão de obra. 

“O trabalho é um dos pilares do tratamento penal. Quando é possível aliar a oportunidade de desenvolver uma atividade com a gratificante chance de contribuir, de alguma forma, com a sociedade, despertamos no apenado um sentimento de auto valorização e de cumprimento de um dever social, especialmente nesse momento de pandemia”, explicou o Diretor da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa, William Daniel de Lima Ribas.

RESULTADO DO TRABALHO- No primeiro semestre de 2020, o Paraná foi o terceiro colocado entre os estados com o maior número de presos trabalhando (7.785), depois apenas de Minas Gerais e Rio Grande do Sul, de acordo com dados do Departamento Penitenciário Nacional. Dentre os dados divulgados, estão as ações de reintegração e assistência social. Para o secretário de Estado da Segurança Pública, esse é um bom exemplo dos resultados dos trabalhos dos agentes penitenciários.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.